Principais causas, sintomas e tratamento da gengivite


A Gengivite é um dos principais fatores que levam as pessoas a recorrerem às próteses ou aos implantes dentários. Você pode ter gengivite e não saber disso.

gengiviteGengivite é a inflamação da gengiva, geralmente causada por infecções bacterianas. Quando não tratada, ela pode se tornar uma forma infecciosa mais grave, a periodontite. Essas duas formas de infecção são as principais causadoras da perda dos dentes em idade adulta. Por isso, a gengivite acarreta em um enorme prejuízo, para milhares de pessoas.

Aqui, você irá saber quais são as causas dessa doença, seus sintomas e como fazer o tratamento adequado para manter a saúde bucal.

A gengiva, na realidade, fixa os dentes mais profundamente do que a extremidade dela a qual podemos ver. Assim, forma um espaço denominado bolsa. Quando os alimentos ficam retidos nesse espaço, pode causar infecção na gengiva. Além disso, também existe a placa dentária, uma fina película de bactérias formada a todo tempo na superfície dos dentes. Com seu avanço, ela endurece e transforma-se em tártaro.

Assim, você pode desenvolver uma infecção caso a placa dentária se estenda para baixo da linha gengival. Quando não é tratada, a infecção pode fazer com que a gengiva se separe dos dentes.

O que pode levar a danos no tecido mole e osso que fixa os dentes, os quais podem ficar soltos e instáveis. Caso a infecção progrida, você pode vir a perder seus dentes, ou precisar de um dentista para extraí-los.

Principais fatores que podem causar gengivite:

  • Tabagismo;
  • Gestação;
  • Dentes muito desalinhados;
  • Diabetes;
  • Aparelhos odontológicos que não se encaixam perfeitamente;
  • Obturações danificadas;
  • Fatores genéticos;
  • O consumo de certos medicamentos (alguns anticoncepcionais, esteroides, anticonvulsivos e outros);
  • Comprometimento da imunidade (por exemplo, pacientes com HIV/AIDS).

Sintomas da gengivite

Inúmeras pessoas não estão cientes que estão com gengivite. A doença pode não apresentar sintomas. Porém, as seguintes alterações podem ser sinais de que algo não está certo com sua boca:

  • Gengiva avermelhada, mole ou inchada;
  • Sangramento durante a escovação ou uso de fio dental;
  • Dentes e gengiva afastados;
  • Formação de pústula (bolsa de pus) entre gengiva e dentes;
  • Mudança no encaixe dos dentes (má oclusão);
  • Mobilidade dos dentes;
  • Sensibilidade nos dentes;
  • Dor durante a mastigação;
  • Encaixe inadequado de próteses parciais;
  • Mau hálito, mesmo após a escovação.

Diagnóstico da gengivite

Pode ser feito através de um exame realizado pelo dentista, sua gengiva será sondada com uma pequena régua. Esta sondagem é a forma de descartar uma possível inflamação. O exame também mede todos os sulcos em volta dos dentes.

Normalmente a profundidade é de 1 a 3 milímetros. Também pode ser pedido um raio-X pelo seu dentista, com o objetivo de averiguar se há ou não alguma perda óssea.

Caso você tenha algum dos sintomas citados, tire todas as suas dúvidas com seu dentista. Dessa forma ele saberá como proceder. E caso ache necessário, irá lhe encaminhar para um especialista em gengivas, o periodontista.

Tratamento

Antes de tudo, você deve praticar uma boa higiene oral para tratar ou prevenir a gengivite. Também deve evitar o tabagismo e controlar o diabetes, caso possua. Alguns tratamentos podem incluir limpeza profunda dos dentes, antibióticos e até intervenção cirúrgica.

Tipos de Limpeza

Existem diversos métodos utilizados na limpeza profunda dos dentes, antes de recorrer à cirurgia. E todos eles cumprem o propósito de remoção do tártaro e placa, a fim de evitar possíveis inflamações.

  • Raspagem: remove tártaro a partir de cima e abaixo da linha da gengiva.
  • Alisamento radicular: suaviza manchas e remove partes infectadas do dente.
  • Lasers: podem remover o tártaro sem tanto sangramento ou dor que a raspagem e o alisamento radicular.

Medicamentos

Um grande número de medicamentos pode ser usado no tratamento da gengivite:

  • Antissépticos bucais contendo o antibiótico clorexidina, utilizados para desinfetar a boca.
  • Chips antissépticos com tempo de liberação de clorexidina inseridos nas bolsas da gengiva, após o alisamento radicular.
  • Pequenas esferas de antibióticos (minociclina) inseridas nos bolsos das gengivas depois da raspagem ou alisamento.
  • Antibióticos de administração oral (tratamento de áreas com inflamação persistente da gengiva).
  • Doxiciclina (antibiótico, que ajuda na manutenção das enzimas que danificam os dentes).

Apelo para cirurgia

  • Redução da bolsa: é um procedimento onde as gengivas são levantadas para trás, enquanto a placa é removida. As gengivas, são então suturadas (costuradas) em local que caiba confortavelmente ao redor dos dentes.
  • Enxerto de ossos e tecidos: pode ser utilizado quando os dentes e mandíbula estão muito danificados para ser corrigidos.

Evite a gengivite, mantenha seus dentes saudáveis e previna prejuízos, é simples!

É possível prevenir a gengivite pela higiene oral adequada e consistente. Mantenha uma dieta balanceada e visite o dentista periodicamente. Escove os dentes três vezes ao dia. E faça o uso de fio dental diariamente.

Fica a dica!


Sobre Galdino

Paixão por saúde e qualidade de vida. Desde 2013 buscando informações sobre a melhor maneira de se viver com mais saúde e melhor qualidade de vida. Mantenho alguns blogs com o objetivo principal de passar adiante as informações e o conhecimento que tenho adquirido ao longo desse tempo. Durante esses anos tenho "corrido" atrás de conteúdos relevantes que, de alguma forma possa me ajudar e ajudar outras pessoas a viver com mais qualidade de vida. Ps. Tenho 47 anos, sou goiano, evangélico, solteiro e tenho um filho de 13 anos, motivo do meu orgulho e alegria. Sou apaixonado séries e filmes de ação e adoraria aprender tudo sobre fotografia.

Deixe seu comentário