Tratamentos para a pele com vapor de ozônio: entenda como funciona e as vantagens!

Um dos fatores que mais impactam a autoestima das pessoas é a pele. Pesquisas indicam que muitos já deixaram de sair de casa ou não costumam tirar fotos por vergonha da própria pele.

Outras pessoas também alegam ter dificuldades de se relacionar ou que já sofreram bullying em razão da aparência por problemas dermatológicos. 

Dentre essas questões, a acne é um dos problemas de pele mais comuns e também o que mais atinge a autoestima.

Ao contrário do que muitos pensam, não é frescura ou apenas um detalhe. A saúde da pele impacta a autoestima – o que, consequentemente, pode ocasionar problemas psicológicos e sentimentos negativos nas pessoas.

Diante deste cenário tão difícil e importante, a cada ano surgem novos tratamentos revolucionários. Alguns, entretanto, causam efeitos colaterais delicados. Surgiu então a ozonioterapia como uma alternativa eficiente e 100% natural.

Há diversas formas de aplicar essa terapia em tratamentos de pele, dentre elas o uso do vapor de ozônio. Você já ouviu falar sobre esse tratamento? É algo novo no mercado, mas está se popularizando rapidamente.

Afinal, é um método eficiente, não invasivo, rápido, natural e sem contra indicações. Se você ainda não conhecia o tratamento de pele com vapor de ozônio, esse conteúdo é para você.

A seguir, conheça uma forma segura de melhorar o aspecto da sua pele e acabar com diversos problemas que te incomodam – não será preciso ingerir remédios, passar por procedimentos dolorosos, nem nada do tipo. 

Acompanhe!

Vapor de ozônio para tratamentos de pele: como funciona?

Ozonioterapia é um método que utiliza o componente ozônio em prol da saúde e bem-estar das pessoas. 

É usado em diversas áreas médicas, as quais são regulamentadas por conselhos profissionais do país – não são tratamentos experimentais, que fique claro.

Na estética, os benefícios do ozônio já encantam diversas pessoas e profissionais. O componente pode ser eficiente para tratamentos de cabelo, pele, couro cabeludo, redução de celulites, estrias e até mesmo para o emagrecimento saudável. 

Para a pele, os óleos ozonizados também são boas alternativas para alguns tratamentos. Contudo, é o vapor de ozônio que rouba a cena neste segmento. Como funciona? 

Esse componente tem propriedades anti inflamatórias, oxidantes, anti sépticas, bactericidas, fungicidas e virustáticas, de modulação do estresse oxidativo, proporciona a melhora da circulação periférica e da oxigenação, entre outras.

Quando aplicado na pele, essa molécula é capaz de ativar microcirculação, que oxigena os tecidos e estimula a atividade dos glóbulos vermelhos. Tudo isso traz um aspecto excelente para a região.

Além de hidratar, ajudar na cicatrização e redução de manchas, conseguir amenizar rugas e linhas de expressão, combater a acne, uniformizar o tom da pele e prevenir o envelhecimento precoce. 

Ainda pode reduzir olheiras escuras e profundas e combater a flacidez da pele, deixando-a mais firme. São muitos benefícios, concorda? Entenda como esse tratamento é aplicado.

Como funciona?

Ozônio? Vapor? Calma, nós explicaremos! Parece complicado, mas na realidade não é. Vamos lá: O ozônio é composto por duas moléculas de 2 oxigênio puro – embora o nome seja conhecido, não encontramos esse componente puro (o qual pode ser usado para fins estéticos e medicinais) na atmosfera.

Desta forma, os geradores de ozônio são máquinas tecnológicas que conseguem, por meio de uma descarga elétrica, separar as ligações das moléculas de oxigênio e as tornam instáveis. Com isso, é possível juntá-las com outras moléculas de oxigênio inteiras, formando o tri-oxigênio, também conhecido como ozônio (O³).

O gerador fornece esse elemento puro para diversos tratamentos. O vapor de ozônio, como o nome indica, é um método que utiliza esse componente como um gás. 

Embora pareça uma novidade, a utilização desse gás não é de hoje. É usado desde o  século XIX e está se popularizando no país. Em outros lugares do mundo, a técnica já é a queridinha de muitos profissionais e pacientes. Mas como funciona?

É claro que o tratamento se desenvolveu ao longo dos anos. Atualmente, para a pele, geralmente, o profissional expõe o rosto da pessoa nesse vapor, o qual penetra no tecido e proporciona os benefícios citados. 

Isso é possível porque o vapor associado ao calor e a presença do ozônio provoca a vasodilatação, o que em consequência, ativa a circulação da pele e facilita a penetração do componente ou outros produtos – se forem necessários, como em limpezas de pele. 

Ou seja, não é um tratamento invasivo em que o paciente passa por diversas picadas de agulha ou deve ingerir medicamentos.

Como o ozônio é 100% natural, também não há efeitos colaterais e tampouco contra indicações. Mesmo com tanta segurança, vale lembrar que apenas profissionais capacitados podem realizar a ozonioterapia – independentemente de qual for a via de aplicação. 

Existem diferentes dosagens desse componente para cada tipo de tratamento, necessidade do paciente e área que receberá o ozônio. Somente profissionais conseguem medir exatamente a quantidade de substância aplicada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *