Medicina do futuro: as novas tendências

A pandemia da Covid-19 alterou completamente o campo da medicina, exigindo mudanças e melhorias. Ao falar em medicina do futuro também falamos sobre ferramentas, recursos e equipamentos tecnológicos que otimizam o processo de atendimento. Após a pandemia, a medicina teve que se apoiar na tecnologia para trazer cuidados preventivos e mais conectividade para os médicos, pacientes e clientes.

Várias mudanças já foram implementadas na área da saúde e, aos poucos, vêm ganhando novas oportunidades e seguidores. Essas modificações promovem mais possibilidades de atuação e de trabalho aos médicos, enfermeiros, entre outros profissionais da área, além de auxiliar a democratizar o acesso à saúde, principalmente àqueles com mais dificuldade a ter um bom atendimento médico.

Além de novos remédios e fórmulas para auxiliar a medicina, como o Linalol e o vaporizador de ervas, que possuem efeitos anti-inflamatórios, analgésicos, hipotensores e vaso relaxantes, a tecnologia é, e continuará sendo, um inovador meio para auxílio em hospitais e clínicas.

O desenvolvimento e domínio das tecnologias junto à evolução dos conhecimentos médicos, está gerando reformas e aperfeiçoamentos em diversos segmentos da saúde, que vão desde os aplicativos que acompanham os sinais vitais dos pacientes até robôs que permitem e facilitam procedimentos cirúrgicos, os tornando mais precisos e menos invasivos.

Nos últimos anos, a necessidade de agilidade e facilidade se tornou ainda maior, principalmente pela importância do diagnóstico precoce. Essas mudanças deverão, também, abranger as instituições de ensino de saúde, que precisam se dedicar cada vez mais à medicina do futuro.

A tecnologia é e continuará sendo um suporte na busca por superar os desafios da medicina para maior assertividade no atendimento às pessoas, porém não é só de tecnologia que se faz a medicina do futuro, é essencial que os profissionais estejam capacitados e preparados para fazerem parte das mudanças.

CONFIRA 5 TENDÊNCIAS PARA MEDICINA DO FUTURO E SE PREPARE PARA ELAS:

1. TELEMEDICINA

A telemedicina, já utilizada há alguns anos em vários países, foi aprovada pelo Conselho Federal de Medicina durante a pandemia do COVID-19, contando com a teleconsulta, o teleatendimento e o telediagnóstico.

Nos últimos dois anos, a quantidade de consultas a distância aumentou e, consequentemente, a segurança dos médicos e pacientes também, uma vez que não precisam se deslocar para o hospital ou consultório para realizar os atendimentos. A telemedicina vem com o desafio de acolher e humanizar o contato entre estas partes para que a presença física em uma clínica não seja necessária.

Além da segurança, com a chegada da telemedicina, outras vantagens se destacam, como a agilidade dos processos e a possibilidade de se consultar com especialistas de diferentes partes do país sem sair de casa.

2. INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E MACHINE LEARNING

Uma das principais tendências para a área da saúde é a IA (Inteligência Artificial), uma tecnologia inovadora e muito procurada por todos os setores, que auxilia na interpretação de dados e no acompanhamento dos resultados dos pacientes. A IA pode ser usada em funções simples como o agendamento e cancelamento de consultas, até ofícios mais complicados, tais como tratamento de doenças e análise de dados do paciente, sejam genéticos ou clínicos.

Fora os processos já citados, a IA também pode auxiliar na associação de sintomas, possibilitando aos médicos maior exatidão nos resultados dos exames, reduzindo erros e aumentando a assertividade no diagnóstico, além de mandar notificações sobre os tratamentos.

Assim como a IA, o Machine Learning também é um método de deep learning, ou seja, uma área de aprendizado de máquinas que se baseia em algoritmos que tentam formar abstrações de dados, com objetivo de avaliar diagnósticos com mais precisão que um ser humano.

Entre as facilidades geradas pelo Machine Learning estão o reconhecimento de imagens, decisões em tempo real, obtenção de conhecimento e segmentação dos pacientes.

3. WEARABLES

Os Wearables são equipamentos conectados à Nuvem que enviam dados em tempo real para a central, onde os médicos podem acompanhar o paciente e seus cuidados com mais precisão.

Já utilizados há anos, os Wearables podem ser encontrados em várias áreas da medicina, como oftalmologia, medicina esportiva e até a cardiologia. Alguns dos equipamentos wearables utilizados são os relógios com marcação de consumos calórico e energético e as palmilhas que transmitem dados sobre a pisada do paciente.

4. CIRURGIA ROBÓTICA

O uso de robôs em procedimentos cirúrgicos está sendo cada vez mais utilizado, algumas áreas como a ginecologia e a urologia já utilizam essa especialidade quase que padrão. A cirurgia robótica é menos invasiva e mais precisa, contribui para a redução das cicatrizes, no alívio da dor e no tempo de procedimentos.

A cirurgia robótica é realizada com o auxílio de uma câmera 3D de alta definição, um joystick e um braço mecânico. Com o auxílio dos robôs, os cirurgiões podem realizar operações com máxima precisão e segurança, uma vez que os braços mecânicos se movimentam em vários ângulos e até em 360º, sendo até mais eficiente que os punhos humanos.

5. NANOTECNOLOGIA

Outra tendência para a medicina do futuro é a nanotecnologia, que se trata da manipulação e compreensão da matéria em nanoescala, atômica e molecular. Ela pode ser aplicada como um meio de otimizar o diagnóstico do paciente e realizar o acompanhamento de seu histórico médico.

Por fim, outra finalidade dessa tecnologia é a criação de nanorobôs, que são tão pequenos a ponto de circular pelos vasos sanguíneos e auxiliar nas cirurgias e na implantação de medicamentos. Os nanorobôs ajudam a reverter quadros complexos, como nos cenários de infecção sanguínea, além de melhorar a qualidade dos exames de imagem.