Como a saúde mental afeta o desempenho escolar?

A identificação precoce de um problema de saúde mental pode fazer toda diferença em um aluno que tem problemas de comportamento ou emocionais.

Na verdade, pode se tratar de um problema já diagnosticado ou uma reação a um evento traumático ou a uma situação vivida.

Por isso, é essencial que os professores estejam sempre atentos, levando em conta que cada aluno é único e o que funciona para um pode não funcionar para outro.

Portanto, continue a leitura e entenda um pouco mais como a saúde mental afeta o desempenho escolar!

Como a saúde mental afeta o desempenho escolar?

Um problema de saúde mental pode afetar a capacidade de aprendizagem ou de controle de comportamento, o que tem reflexo direto no desempenho escolar. Dificuldades de atenção, distúrbios de humor e ansiedade são os problemas mais frequentes.

É claro que, em um momento ou outro, uma pessoa pode apresentar alguma dificuldade de concentração, problemas de autoestima, de humor ou nas suas relações interpessoais.

Tais dificuldades podem ser temporárias ou crônicas, mas não devem jamais passar despercebidas.

Isso porque, todas elas têm relação direta com o desempenho na escola.

Os problemas de saúde mental podem ser:

  • Transtornos de ansiedade;
  • TDAH;
  • Transtorno obsessivo compulsivo;
  • Depressão;
  • Distúrbios de humor;
  • Transtornos alimentares;
  • Transtorno bipolar infantil.

Um ponto que merece atenção é que a pandemia de Covid-19 desencadeou um aumento de 25% na prevalência de ansiedade e depressão em todo o mundo, onde os jovens foram as maiores vítimas.

E também não foi acaso que houve um aumento significativo por psicoterapeuta online e por um público cada vez mais jovem.

Como reconhecer que um aluno precisa de ajuda e o que fazer?

Veja alguns sinais que indicam um problema mental:

  • Notas baixas;
  • Oscilações de humor frequentes;
  • Falta de energia ou motivação;
  • Inquietude constante;
  • Acessos de raiva frequentes;
  • Distanciamento dos amigos e família;
  • Mudanças de hábitos relacionados ao sono e apetite;
  • Agressão física.

Esses são apenas alguns sinais de alerta e é essencial ter um cuidado redobrado. Dependendo do caso, será necessário fazer um encaminhamento para uma terapia, até para descartar um transtorno mental mais grave.

Algumas medidas que podem ser tomadas:

  • Ficar atento aos eventos traumáticos que o aluno possa vivenciar;
  • Evitar estigmatizar a doença;
  • Manter um diálogo aberto com os pais e responsáveis;
  • Observar se há alguma dificuldade em aceitar as instruções e permanecer sentado tranquilamente.

O mais importante é ter plena consciência que o aluno precisa de ajuda e a escola tem um papel crucial nesse processo.

Como promover a saúde mental para favorecer o bom desempenho?

Alunos com problemas de aprendizagem têm um maior risco de ter problemas de saúde mental como ansiedade, depressão, transtornos de humor e de comportamento.

Daí a importância de divulgar o máximo de informações sobre saúde mental, a fim de promover o bem-estar no ambiente escolar.

O ideal é a identificação e intervenção precoces, além de adotar medidas de adaptação, e mais importante, combater a estigmatização em sala de aula.

Enfim, é imprescindível oferecer aos professores e todos aqueles que lidam com os alunos todos os recursos e ferramentas, pois quanto antes for diagnosticado e tratado um determinado problema, isso terá um impacto positivo no desempenho escolar.

Conclusão

Agora que você entendeu como a saúde mental afeta o desempenho escolar, seja você pai ou educador, fique sempre atento!

E caso perceba que a criança ou adolescente esteja apresentando algum dos sintomas listados acima, o melhor a fazer é buscar auxílio profissional!