Obesidade e Depressão, qual a relação?


Obesidade e DepressãoVocê sabia que obesidade e depressão tem relação? Veja como uma coisa leva a outra e anote dicas para se cuidar.

Conforme estudos são muitos os casos em que a obesidade resulta em depressão. É claro que a depressão é um problema emocional ocasionado por diversos fatores. Mas quando as pessoas sofrem com a auto estima baixa, a sua saúde emocional fica comprometida.

Por que pessoas obesas tendem a ficar depressivas

No Chile foi constatado que, de 60% da população obesa e adulta, 10% estão depressivas. Conforme o levantamento, a maior queixa está relacionada à discriminação por parte da sociedade.

Estar acima do peso gera estereótipos negativos, afetando assim, a auto-imagem da pessoa. Isso colabora para que o indivíduo se feche mais em seu próprio mundo e não tenha uma vida social adequada. Como resultado, eles acabam desencadeando compulsão alimentar.

E para os que tentam fazer dietas sem acompanhamento médico, acabam por não conseguir seguir à risca e assim, não obtém um resultado positivo ou perto do esperado. Isso faz com que se sintam fracassados, o que mexe muito com o psicológico e resulta na depressão.

Como você pode perceber, o fato de estar acima do peso já é ruim para auto-imagem da pessoa. Então a sociedade “não perdoa”, fazendo com que se sintam constrangidos. Quando falamos em sociedade, estamos incluindo não apenas o que as pessoas ao redor comentam, mas também propagandas, filmes, entre outros meios.

Tudo colabora para que as pessoas obesas se sintam para baixo, evitando sair de suas casas e de participar de festas e eventos.

Obesidade e depressão – suicídio

O índice de suicídio, infelizmente, está aumentando consideravelmente no mundo inteiro. Pessoas de todas as idades são afetadas e as causas variam bastante. No caso da obesidade, se o indivíduo está deprimido e sofre problemas sociais, isso pode ser um grande alerta, já que a pessoa, se não receber apoio, pode tirar sua própria vida.

Em 2014 saiu um levantamento mostrando que mortes por obesidade triplicaram no Brasil em 10 anos. Conforme informado pelo Ministério da Saúde, a taxa foi de 5,4 para 11,9, considerando a apuração de mortes causadas pela obesidade registradas pelo atendimento público e pelos planos de saúde no país.

A obesidade por si só pode matar, já que desencadeia outras doenças e problemas de saúde, como diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, insuficiência renal e alguns tipos de câncer. Porém, a depressão é algo que também leva o obeso à morte, já que se a pessoa obesa fica deprimida, acaba por não cuidar da sua saúde, piorando o quadro das doenças acima.

E a depressão é um mal que está afetando cerca de 300 milhões de pessoas no mundo todo e mesmo que haja tratamentos efetivos, menos da metade desse número busca ajuda médica. Isso ocorre por conta de falta de recursos, falhas de diagnóstico e até pela falta de profissionais capacitados.

No sistema público de saúde é mais difícil ter um bom acompanhamento profissional. Já para quem pode usufruir de convênios médicos, existem algumas coberturas no plano de saúde para depressão que são obrigatórias, como o atendimento com psiquiatra, por exemplo.

Ao relacionar a obesidade com o suicídio, os casos de obesos que tiraram suas próprias vidas também cresceram nos últimos anos. Parte da culpa disso pode estar nas redes sociais e propagandas que fazem com que os obesos sintam vergonha do seu corpo.

As pessoas acabam por se sentirem humilhadas, onde essa exposição faz com que se sintam feias. Essa é uma discriminação que leva os obesos a ter um grande dano psicológico, fazendo com que se isolem, comam cada vez mais e se cuidem de menos.

Se elas se isolam, também não procuram tratamento médico e isso afeta totalmente a sua auto estima, o que leva a depressão e por sua vez, ao suicídio. Imagina que o fato de estar acima do peso seja um fardo que muitas pessoas não conseguem mais suportar. Sozinhas, sem acompanhamento de um especialista e sem apoio dos amigos e até dos familiares, a depressão resulta sim no suicídio.

Por: Andreia Silveira, colaboradora do site Plano de Saúde Nota 10.


Sobre Galdino

Paixão por saúde e qualidade de vida.

Desde 2013 buscando informações sobre a melhor maneira de se viver com mais saúde e melhor qualidade de vida. Mantenho alguns blogs com o objetivo principal de passar adiante as informações e o conhecimento que tenho adquirido ao longo desse tempo.

Durante esses anos tenho “corrido” atrás de conteúdos relevantes que, de alguma forma possa me ajudar e ajudar outras pessoas a viver com mais qualidade de vida.

Ps.
Tenho 47 anos, sou goiano, evangélico, solteiro e tenho um filho de 13 anos, motivo do meu orgulho e alegria.

Sou apaixonado séries e filmes de ação e adoraria aprender tudo sobre fotografia.

Deixe seu comentário