Conheça alguns dos nutrientes responsáveis por inibirem os sintomas da asma   Atualizado recentemente!


Sintomas da asma

Quem é portador de asma sabe o quão sensível o organismo se torna diante de determinadas situações. Seja por uma mudança repentina no clima, ambientes empoeirados, fumaça (não somente a do cigarro), pelos de animais, cheiros fortes (mesmo de perfumes ou flores), mofo, pólen, exercícios físicos ou certos medicamentos. Não importa o que desencadeia o ataque, o resultado, invariavelmente, é uma sequência incontrolável de tosse e uma forte falta de ar provocando grande dificuldade para respirar.

O consumo de alguns alimentos ricos em nutrientes específicos pode minimizar as consequências decorrentes da asma. Pois estes nutrientes promovem uma melhora do nosso sistema respiratório, auxiliando a abertura das vias aéreas e facilitando a respiração. A seguir, conheça alguns desses nutrientes e em quais alimentos você poderá encontrá-los. Dessa forma, aprenda a controlar os sintomas da asma e a ampliar a resistência do seu sistema imunológico.

Inibidores dos sintomas da asma

Antes de entrar em detalhes sobre alguns dos inibidores da asma, há certos cuidados que os portadores dessa doença devem ter. Em primeiro lugar, caso você esteja tendo um ataque, tente ficar calmo. O pânico pode intensificar os sintomas, como falta de ar e aperto no peito.

Feche os olhos e tente respirar fundo. Visualize ambientes tranquilos que te acalmam e, repita o processo de respiração. Tome bebidas com cafeína, pode ser uma xícara de café forte ou um chá. A cafeína é um excelente bronco-dilatador.

E, principalmente, não comece a tomar quaisquer dessas vitaminas ou minerais sem a aprovação do seu médico.

 A vitamina D

A ausência de vitamina D pode ocasionar diversos problemas ao organismo, como problemas inflamatórios, doenças infecciosas e desequilíbrio do sistema imunológico. No que concerne aos sintomas da asma, as complicações são oriundas do consequente ganho de massa muscular em local bem preocupante: nos brônquios. Os especialistas alertam para esse fato porque devido a esse “inchaço” dos brônquios, a respiração se torna muito prejudicada.

Além disso, a vitamina D tem função importante no desenvolvimento do pulmão durante a formação do bebê. Algumas pesquisas apontam que a suplementação desse nutriente pela mãe durante a gestação diminui as chances de a criança desenvolver a doença. Outro estudo, feito em crianças com asma, demonstrou que a suplementação com vitamina D inibiu em 26% episódios de crise.

A preocupação em relação as pessoas que apresentam essa doença é, que os corticoides (remédio comum no tratamento de asma) contribuem com a diminuição da vitamina D no organismo. Embora esta vitamina possa ser encontrada nos ovos, manteiga, fígado bovino e em algumas espécies de peixes como arenque, salmão e cavala, os alergistas enfatizam que os asmáticos precisam passar por exames minuciosos a fim de verificar a deficiência da vitamina em questão.

A vitamina A

A vitamina A é importante porque reconstrói e gerencia o crescimento de diversos tecidos e células ligadas ao trato respiratório. Assim, ela ajuda a prevenir infecções no nariz e pulmões. E contribui significativamente com o funcionamento do sistema imunológico.

Esta vitamina melhora consideravelmente o estado dos pulmões, que conseguem ampliar a síntese de muco, facilitando a extração natural de partículas nocivas ao órgão, tornando-o mais resistente à possíveis infecções.

Para obter todos esses benefícios basta consumir regularmente produtos lácteos, peixes e carnes (com ênfase ao fígado bovino), e porções de manteiga, vegetais de folhas verdes, ovo, cenoura, manga, batata doce, dentre outros.

A vitamina C

Após uma intensa pesquisa, cientistas finlandeses confirmaram que a vitamina C aprimora as condições respiratórias das crianças portadoras da asma, principalmente na faixa etária dos 7-8 anos. A explicação dos especialistas é que a vitamina C possui um papel anti-inflamatório e controlador da produção de histamina, continuamente associada às crises da doença.

Esta vitamina também pode ser associada à flavonoides e antioxidantes, presentes nas frutas cítricas. Os antioxidantes são famosos por combaterem os radicais livres. Neste caso, deixando os indivíduos menos suscetíveis às intempéries ambientais, tal como a poluição.

Todavia, o recomendável é que as pessoas que sofrem com os sintomas da asma evitem a ingestão da vitamina C por meio de suplementos. Priorizando sua absorção através de fontes naturais como limão, laranja, kiwi e, sobretudo, acerola.

A vitamina B12

A vitamina B12 está associada ao bom funcionamento do sistema nervoso, síntese de proteínas e absorção de cálcio. Em relação à asma, esta vitamina previne ataques de tosse, principalmente àqueles que não possuem uma causa evidente (como uma inflamação na garganta ou resfriado). Estudos demonstram que, em crianças, injeções de B12 melhoraram os quadros de ataque de asma. Para aumentar sua ingestão basta incluir alimentos de origem animal, como leite, carne, ovos e queijo em sua dieta.

O magnésio

Considerado um dos nutrientes mais deficitários na maioria das pessoas, o magnésio age como antiespasmódico, relaxando a musculatura do trato respiratório. Uma das causas da crise de asma são justamente os espasmos involuntários da musculatura do trato, assim, o magnésio presta sua contribuição aos asmáticos proporcionando o relaxamento dos músculos nestes momentos.

De acordo com especialistas, o nutriente melhora as condições do sistema respiratório como um todo, diminuindo a inflamação no trato, inibindo a ação de produtos químicos que levam aos espasmos e aumentando os teores de óxido nítrico (anti-inflamatório). De forma a possibilitar um imenso aperfeiçoamento das funções pulmonares.

Dentre os alimentos que contém esse mineral, as sementes (de abóbora ou girassol), amêndoas, avelã e amendoim são as principais fontes. Espinafre, alcachofra, arroz integral, abacate, banana e frutos do mar, também são carreadores de magnésio.

Cabe frisar que o magnésio também pode ser introduzido no organismo por via intravenosa ou através de inalação com cloreto de magnésio. Contudo, são procedimentos que devem ficar a critério do médico responsável pelo paciente.

 O selênio

Classificado como um dos elementos antioxidantes mais poderosos, o selênio contribui para o extermínio dos radicais livres, que surgem em decorrência das inflamações provenientes das crises de asma. Esse importante nutriente está presente em alimentos como os cereais integrais e as oleaginosas.

E você, conhece mais algum nutriente interessante para acrescentar a esta lista? Deixe seu comentário. Gostou do artigo? Curta e compartilhe.


Sobre Galdino

Paixão por saúde e qualidade de vida. Desde 2013 buscando informações sobre a melhor maneira de se viver com mais saúde e melhor qualidade de vida. Mantenho alguns blogs com o objetivo principal de passar adiante as informações e o conhecimento que tenho adquirido ao longo desse tempo. Durante esses anos tenho "corrido" atrás de conteúdos relevantes que, de alguma forma possa me ajudar e ajudar outras pessoas a viver com mais qualidade de vida. Ps. Tenho 47 anos, sou goiano, evangélico, solteiro e tenho um filho de 13 anos, motivo do meu orgulho e alegria. Sou apaixonado séries e filmes de ação e adoraria aprender tudo sobre fotografia.