Saiba quais são as terapias usadas na medicina alternativa


Para a medicina alternativa não existe a doença e sim a pessoa doente. Enquanto a medicina tradicional procura as causas da doença, a medicina alternativa busca no doente o motivo pelo seu mal e o tratamento é indicado para agir na causa da doença e não no seu sintoma.

Medicina alternativaA medicina tradicional, desde o século 17, quando foi influenciada pelo racionalismo, sempre considerou o corpo humano como uma máquina, onde cada órgão tinha sua própria função, sendo algo independente e assim sendo tratado em caso de alguma doença.
Mas a medicina nem sempre foi assim. Desde o tempo da Grécia Antiga, com Hipócrates, a medicina considerava o homem como um todo, unindo inclusive o corpo e a mente, sabendo que um mal físico poderia causar um mal espiritual e vice-versa.

A teoria de Hipócrates, nos tempos modernos, acabou se tornando uma verdade, pois a ciência vem provando, dia a dia, que existe uma estreita relação entre o corpo e a mente e qualquer problema em cada uma dessas partes pode prejudicar a saúde do ser humano.

Claro que não podemos discriminar a medicina tradicional, já que se trata de uma ciência que comprova por fatos científicos, por experiências e por tratamentos a sua validade. Mas também devemos lembrar que a medicina alternativa nunca deixou de ser considerada pela população. Para comprovar isso, basta ver a quantidade de chás e infusões que realmente curam e para os quais somente agora a medicina tradicional vem olhando com mais cuidado.

Grande parte do que conhecemos hoje como medicina alternativa tem suas raízes na medicina tradicional chinesa, que sempre tratou o ser humano como um todo, induzindo-o a praticar hábitos saudáveis, de vida e de alimentação, para manter a saúde. E, ao que parece, com excelentes resultados, por todos os milênios em que foi desenvolvida.

O Brasil já é adepto de algumas dessas terapias alternativas, mantendo mesmo um Hospital de Medicina Alternativa, o HMA, em Goiás, que atende atualmente mais de 150 pessoas todos os dias, aplicando terapias alternativas através do Sistema Único de Saúde, o SUS.

Saiba quais são as terapias da medicina alternativa

As principais terapias que temos hoje dentro da medicina alternativa provém do conhecimento milenar da China e do Japão. Algumas delas já são reconhecidas pelo Ministério da Saúde, sendo utilizadas mesmo nos programas de assistência à saúde. Veja quais são elas:

  • Acupuntura
  • Ayurveda
  • Cromoterapia
  • Fitoterapia
  • Florais de Bach
  • Homeopatia
  • Indologia
  • Massagem
  • Quiropraxia
  • Reiki
  • Yoga

Vamos conhecer mais profundamente as peculiaridades de duas destas terapias, Acupuntura e Reiki.

Acupuntura: técnicas e benefícios

A acupuntura tem sua origem nas tradições médicas orientais, tendo sido criada há mais de dois mil anos, sendo um dos procedimentos médicos mais antigos da civilização humana. Sua base está na estimulação de locais determinados sobre a pele, os chamados pontos de acupuntura.

Como técnica reconhecida de tratamento terapêutico, a acupuntura é um dos grandes desafios para a ciência, que não consegue ainda entender como a técnica funciona, já que seus efeitos são provocados por meridianos energéticos no corpo humano que não podem ser estudados anatomicamente.

A acupuntura é reconhecida na medicina brasileira como um tratamento sério, embora ainda faça parte da chamada “medicina alternativa”, e existem diversas abordagens para sua aplicação. O procedimento mais adotado pela acupuntura é o uso de pequenas agulhas, que são penetradas na pele, nos pontos nevrálgicos dos meridianos. As agulhas usadas são metálicas, bastante finas e sólidas, sendo manipuladas manualmente ou através de impulsos elétricos.

Segundo a tradição chinesa, a técnica da acupuntura possibilita ajustar os canais energéticos do corpo, os meridianos, trazendo novamente o equilíbrio das forças antagônicas, o yin e o yang. Para a medicina ocidental, que se baseia em fatos concretos e sólidos, no entanto, o método é capaz de estimular a liberação de algumas substâncias químicas, que são as responsáveis pela alteração do sistema nervoso e podem resultar em efeitos no restante do corpo, trazendo o equilíbrio orgânico novamente. Com esta explicação, a acupuntura torna-se associada a transtornos orgânicos, que são resultados de tensões emocionais e de estresse.

Como é feito o diagnóstico para a acupuntura

O diagnóstico para a aplicação da acupuntura geralmente é feito através de questionamentos do acupunturista sobre os diferentes aspectos da vida do paciente, além da observação física de condições como a pulsação, a respiração e os aspectos aparentes da língua e da pele.

Quando o acupunturista identifica o problema, tem início o tratamento, que pode ser feito através dos mais de mil pontos de acupuntura, que serão estimulados em sessões frequentes até a eliminação do problema.

Segundo a medicina chinesa, a acupuntura trabalha em busca da recuperação do organismo como um todo, através da indução de processos regenerativos e do reforço do sistema imunológico, trazendo novamente a normalização das funções alteradas.

A medicina ocidental reconhece que a acupuntura tem realmente o poder de desativar áreas do cérebro associadas a alguns problemas, embora não tenha o conhecimento de como o método funciona. Desta forma, os resultados da acupuntura ainda são um grande mistério para o mundo ocidental.

No entanto, a acupuntura vem sobrevivendo há dois milênios e tem apresentado benefícios aos mais diversos tipos de pacientes, seja curando problemas respiratórios, problemas musculares, danos do sistema gastrointestinal, doenças ginecológicas e dermatológicas, além de problemas neurológicos e psicológicos.

Um dos usos mais eficazes da acupuntura é para a redução de dores em problemas de fibromialgia e de dores localizadas nas costas, além de tratamento de vômitos e náuseas em pacientes submetidos à quimioterapia ou cirurgias, e também a redução da tensão emocional.

Para a OMS – Organização Mundial da Saúde, a acupuntura é um complemento da medicina moderna e, atualmente, é um tratamento aplicado pelo sistema público de saúde, tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil, além de diversos outros países.

Informações interessantes sobre a acupuntura

Como se trata de uma técnica que desperta a curiosidade dos ocidentais, inúmeras pesquisas e estudos foram feitos sobre a acupuntura. Experiências realizadas em ratos apresentaram excelentes resultados, mostrando que a acupuntura pode até triplicar os efeitos de compostos medicamentosos anti-inflamatórios e analgésicos.

Um estudo feito na Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, mostrou que os tecidos próximos às agulhas possuíam até 24 vezes mais adenosina, o que pode ser um indicativo de que a perfuração da pele esteja acionando o acúmulo da substância nos tecidos externos, enviando um sinal ao cérebro para criar endorfinas naturais contra as dores.

A medicina tradicional chinesa, por sua vez, acredita que os meridianos enérgicos do corpo, quando ocorre qualquer doença, são afetados por energias ruins, que atacam o organismo e provocam as doenças. Para a medicina ocidental, essas energias negativas podem se referir a bactérias, vírus e outros tipos de patogênicos que, de algum maneira, são eliminados com o tratamento pela acupuntura.

A acupuntura não trabalha somente com agulhas: ela pode ser feita través a acupressão, a pressão dos dedos, ou com pedras quentes e laser, além de outras técnicas.

Reiki: uma prática médica alternativa

O Reiki é uma prática criada pelo monge budista japonês Mikao Usui, em 1922, integrando a ciência alternativa denominada vitalismo.

O vitalismo é uma crença oriental baseada na existência de uma energia vital universal conhecida como Ki, sendo a versão japonesa do conceito chinês de Qi ou Chi, que pode ser transmitida de uma pessoa para outra através da imposição das mãos.

Com a aplicação do Reiki, seus praticantes julgam ser possível canalizar a energia universal, isto é, o Reiki propriamente dito, na forma de Ki, possibilitando restabelecer o equilíbrio natural, não somente espiritual, mas também emocional e físico.

Atualmente podemos encontrar dois ramos principais de Reiki, conhecidos como Reiki tradicional japonês e Reiki ocidental. As diferenças apresentadas entre os dois métodos, ou ramos do Reiki, podem ser as mais variadas, com influências diversas, como por exemplo as posições definidas para a imposição das mãos na forma ocidental do Reiki, diferente das posições e das intenções da tradição do Reiki japonês.

No entanto, de maneira geral, os dois ramos possuem uma hierarquia de três graus, ou níveis, referidos como Primeiro e Segundo Nível e o Nível Mestre, ou Professor, que estão associados às diferentes habilidades e técnicas da aplicação do Reiki.

Reiki, um conceito sem evidências científicas

O conceito baseado no Ki universal que deu origem ao Reiki ainda é puramente especulativo, não havendo qualquer evidência científica que o comprove. Trata-se de uma prática de medicina alternativa não reconhecida oficialmente pela comunidade científica.

Já existem alguns estudos sobre a validade da energia Ki, embora não comprovem cientificamente a eficácia do Reiki para melhorar as condições de saúde de qualquer paciente. Ao mesmo tempo, existem profissionais médicos que alertam para os riscos de pacientes se submeterem ao Reiki, atrasando tratamentos emergenciais para doenças consideradas graves e clinicamente comprovadas.

Em 2008 foi realizada uma avaliação sistemática, baseada em ensaios clínicos, demonstrando que o Reiki não apresentou melhoras na saúde dos pacientes e, em 2011, outro estudo envolveu 189 pacientes, também não registrando qualquer diferença entre o grupo participante e o grupo de controle.

Embora não haja comprovação científica da eficácia, o Reiki é uma prática disponibilizada em muitos hospitais e clínicas médicas.

Reiki, uma outra forma de passe espírita?

Vale lembrar, no entanto, que a prática do Reiki aparenta seguir os mesmos princípios do passe espírita, com imposição de mãos pelos médiuns, para aliviar problemas físicos e mentais de pessoas que se submetem ou que sejam seguidoras da doutrina, podendo se tratar muito mais de um caso de crença, de fé, do que propriamente de um ato que possa realmente resolver os problemas de doença.

Devemos atentar ainda para o fato de que, nos últimos anos, diversos cientistas têm se debruçado sobre estudos quânticos, aventando a possibilidade da existência de energias desconhecidas e de validade de práticas ligadas ao poder da fé, o que pode trazer benefícios para as pessoas que sejam portadoras de doenças mentais e psíquicas.

Segundo esses estudos, a probabilidade de haver algo além da ciência é bastante plausível, considerando até mesmo a imortalidade da alma e a influência de energias poderosas existentes no universo que podem ser canalizadas e dirigidas a quem não tem capacidade mental para absorvê-las por conta própria.

Assim, as pessoas que aplicam o Reiki, bem como os médiuns espíritas que aplicam o passe, seriam pessoas dotadas de um poder de canalização das energias cósmicas, propiciando condições de melhoria da saúde de pessoas que não tenham o poder de canalização.

Não podemos descartar qualquer hipótese, já que a ciência tem avançado muito nos últimos anos, inclusive com o que dissemos sobre o universo quântico, que abre novas possibilidades e alternativas para mundos paralelos e para a existência de energias que não conhecemos, ou que não tenhamos ainda descoberto.

Se nos focarmos no fato de que há poucos dias, depois de mais de 6 meses de estudos e pesquisas, cientistas americanos descobriram que Einstein constatou uma verdade há mais de 100 anos, tendo elaborado a teoria da Relatividade, que só pôde ser comprovada um século depois, não podemos simplesmente descartar que ainda estamos longe de conhecer energias que o mundo ainda não mostrou para a humanidade. Ou melhor, que o homem ainda não teve capacidade para entender e assimilar.

As terapias da medicina alternativa vêm passando por estudos confiáveis, que atestam a sua prática, como é o caso da homeopatia, que existe há mais de 200 anos e hoje é procurada por milhões de pessoas do mundo todo, sendo reconhecida, no Brasil, como uma especialidade médica. Ou mesmo o caso da acupuntura, que, depois de anos e anos de estudo, comprovou sua eficácia, sem o uso de qualquer medicamento, usando apenas agulhas nos pontos necessários para liberar a energia no corpo e livrá-lo das doenças.

 


Sobre Galdino

Paixão por saúde e qualidade de vida. Desde 2013 buscando informações sobre a melhor maneira de se viver com mais saúde e melhor qualidade de vida. Mantenho alguns blogs com o objetivo principal de passar adiante as informações e o conhecimento que tenho adquirido ao longo desse tempo. Durante esses anos tenho "corrido" atrás de conteúdos relevantes que, de alguma forma possa me ajudar e ajudar outras pessoas a viver com mais qualidade de vida. Ps. Tenho 47 anos, sou goiano, evangélico, solteiro e tenho um filho de 13 anos, motivo do meu orgulho e alegria. Sou apaixonado séries e filmes de ação e adoraria aprender tudo sobre fotografia.

Deixe seu comentário