Fitoterapia: terapia alternativa com plantas que curam


A fitoterapia é uma terapia alternativa pertencente à medicina alopática que consiste na utilização de fármacos e chás preparados com plantas medicinais diversas para o combate de enfermidades e a promoção da saúde. As doenças que podem ser tratadas por meio de medicação fitoterápica são de vários tipos, tais como depressão, artrite, tuberculose e até mesmo câncer e AIDS.

Neste artigo, trataremos de explicar um pouco mais sobre essa terapia e seus benefícios. Para começar, vamos conhecer melhor a história da fitoterapia.

Breve história da fitoterapia

A fitoterapia é quase tão antiga quanto o próprio ser humano. Há indícios da utilização de plantas como forma de tratamento de doenças que remontam a 60 mil anos. Nessa época o Homo sapiens terminava sua migração para a região leste do mar Mediterrâneo. Referências à fitoterapia também são encontradas em estudos arqueológicos de tábuas datadas de 3 mil anos a.C., encontradas na Biblioteca de Nínive, atual Iraque.

A fitoterapia é também bastante conhecida da medicina chinesa. Por volta de 2700 anos a.C., o imperador Shen Nung, fundador da medicina fitoterápica chinesa, escreveu o livro Pen Tsao. Por meio desse livro transmitiu todos os seus conhecimentos acerca de centenas de plantas de uso medicinal. Muitas dessas plantas ainda são comumente utilizadas na China.

 

Infelizmente, durante a Idade Média, a fitoterapia passou a ser encarada pela Igreja Católica como bruxaria. As pessoas que se utilizavam do poder curativo das plantas eram condenadas à morte pelo tribunal da Inquisição. Este tribunal, comandado pela Igreja, julgava hereges e “feiticeiros”, aplicando torturas horríveis.

Foi somente no século XVIII, com o botânico sueco Carolus Linnaeus, que a fitoterapia começou a deslanchar como ciência. A classificação científica, por ele desenvolvida, com uma nomenclatura exata para cada espécie de planta, facilitou muito a identificação dos vegetais a serem utilizados na preparação dos fármacos. A partir daí, a terapia passou a se desenvolver com um perfil mais científico e os preconceitos medievais foram esquecidos.

A partir da década de 1970, a OMS começou uma campanha de incentivo à utilização da medicina tradicional no tratamento de doenças. A atualização mais recente do programa, referente aos anos de 2014-2023, pode ser encontrada aqui.

Camomila: planta utilizada na fitoterapia

Algumas plantas utilizadas na fitoterapia e seus benefícios

  1. Lavanda: 

    Bastante comum na península itálica, a lavanda, também conhecida como alfazema, era bastante utilizada em casas de banho romanas. Ela possui um aroma doce e é historicamente considerada sinônimo de asseio e higiene. Dentre seus benefícios à saúde estão: aumento do apetite, alívio da tosse, alívio de dores de cabeça e enxaquecas, combate de doenças do baço, asma e problemas do fígado.

  2. Alho

    Pesquisas publicadas recentemente afirmam que o consumo regular do alho cru auxilia no combate ao câncer. Além disso, o alho diminui o colesterol e fortalece o sistema imunológico. É rico em vitamina A, vitamina C e vitaminas do complexo B.

  3. Camomila: 

    A camomila pode ser utilizada para diversos fins, desde o estímulo do apetite até o tratamento de inflamações nas gengivas. Ela é famosa por seu efeito calmante e por aliviar as cólicas menstruais.

  4. Canela

    A canela é utilizada contra flatulência e má digestão dos alimentos. Na China, muito antes de Shen Nung, a planta já era utilizada para controle desses problemas e para o alívio de cólicas menstruais.

  5. Capim-limão

    A planta, especiaria asiática muito cobiçada nos séculos XV e XVI, trazida para o Brasil pelos conquistadores portugueses, é bastante utilizada por suas propriedades medicinais. Dentre seus benefícios, podemos destacar a diminuição da febre, o auxílio no tratamento do câncer e os efeitos calmante, diurético, antidepressivo e sedativo.

  6. Carqueja

    A carqueja é um arbusto que foi provavelmente introduzido no Brasil pelos escravos africanos. Cresce de forma espontânea em terrenos baldios. Dentre seus benefícios estão: o combate à diabetes, o auxílio no tratamento de problemas hepáticos, o efeito diurético que auxilia na eliminação de toxinas e o combate à anemia.

  7. Guaraná: 

    O guaraná é conhecido como um poderoso estimulante do sistema nervoso central, sendo rico em cafeína. Além disso, ele alivia cólicas e dores de cabeça e pode evitar a perda de memória e atenuar o estresse do dia a dia.

Como utilizar a fitoterapia no dia a dia?

Recomenda-se que a medicação fitoterápica seja utilizada em conjunto com remédios alopáticos usuais. Dessa forma, o tratamento torna-se mais eficiente e a toxicidade desses remédios é equilibrada com o uso dos fármacos naturais ou chás das plantas medicinais.

Como vimos, a fitoterapia é uma terapia à base de plantas, como as citadas neste artigo. Quando utilizada paralelamente aos tratamentos alopáticos comuns, produz ótimos resultados, combatendo doenças e trazendo benefícios à saúde. A fitoterapia é bastante recomendada para aqueles que desejam usufruir do bem-estar por ela proporcionado e tratar males diversos, como os que aqui foram citados.

Se você gostou deste artigo, compartilhe com seus amigos e familiares e deixe seu comentário!

Deixe seu comentário