Emagrecer – É comendo que se consegue


Emagrecer - É comendo que se consegue

Imagem cortesia de marin em FreeDigitalPhotos.net

Para emagrecer, tem que comer! Apesar de parecer contraditória a diversas dietas altamente restritivas, a expressão faz muito sentido e o motivo é simples – o nosso organismo precisa de combustível (energia proveniente dos alimentos) para realizar suas funções vitais e sim, queimar gordura!

Uma dieta eficaz em longo prazo é aquela que você consegue realmente se adaptar. É claro que sempre encontrará desafios e terá que abrir mão de alguns alimentos mais calóricos que costumava ingerir. Além é claro, se lembrar da importância de se diminuir a quantidade ingerida destes alimentos. Lembre-se que você deve sentir a sensação de que está satisfeita ao terminar uma refeição e não se sentir “estufada”.

Portanto, vamos pontuar algumas questões e atitudes que podem te incentivar a preparar um cardápio saudável que fará você emagrecer e acima de tudo, que combine com suas necessidades.

O primeiro passo é, fuja de dietas muito rebuscadas que pedem para comer coisas com valores altíssimos e que fora de um regime você nunca pensaria em comprar. Os nutrientes que precisamos estão em sua grande maioria, disponíveis em alimentos que encontramos na feira.

Seguindo o mesmo contexto do primeiro ponto, procure compor suas refeições diárias com um equilíbrio de alimentos com diferentes funções, assim conseguirá se nutrir bem e emagrecer.

Amidos resistentes: procure aqueles alimentos em que a digestão pode ser mais lenta e, portanto prolongam sua saciedade. Bons exemplos são a batata doce, a mandioca, o inhame, a banana verde e o cará.

Ação Termogênica: são aqueles alimentos que aceleram seu metabolismo para a queima de gordura. Exemplo disso é o gengibre, a pimenta e o cacau.

Funcionais: são chamados assim aqueles que contribuem para o sistema imunológico do indivíduo. Podem ser aqueles que contenham vitamina C, por exemplo, como acerola, limão, laranja, kiwi, tomate e vegetais de folhas verdes.  

Baixo Índice Glicêmico: são aqueles que seguindo a mesma lógica dos amidos resistentes, eles evitam picos de açúcar no sangue, diminuindo o armazenamento de mais gordura pelo organismo. Eles podem ser, por exemplo, o leite integral, iogurte desnatado, brócolis, soja e berinjela.

Alimentos de baixa caloria: Não se trata de alimentos Diet ou Light, mas sim daqueles ricos em fibras e água, mas com poucas calorias. Um bom exemplo disso seria o melão.

 O terceiro e talvez mais importante ponto, é: Organiza-se! Planeje seu cardápio, de preferência com a orientação de um profissional especializado. Mas se não tiver acesso, siga as dicas acima e faça um equilíbrio de nutrientes em seu prato.

Portando, programar suas compras mensais, quinzenais ou semanais é parte primordial do processo de emagrecimento, pois evita idas inesperadas à padaria, por exemplo. Estudos dizem que preparando seu cérebro para o que vai comer durante a semana, diminui a ansiedade e consequentemente, os ataques à guloseimas e outros alimentos hipercalóricos.

Faça com que sua dieta se encaixe no seu cotidiano. Lembrando sempre de intercalar pequenos lanches entre o almoço e jantar. Planeje-se para sempre ter algo para se nutrir a cada 3 horas. Isso faz com que seu metabolismo mantenha o nível de queima de gordura levando seu corpo a emagrecer.


Sobre Galdino

Paixão por saúde e qualidade de vida. Desde 2013 buscando informações sobre a melhor maneira de se viver com mais saúde e melhor qualidade de vida. Mantenho alguns blogs com o objetivo principal de passar adiante as informações e o conhecimento que tenho adquirido ao longo desse tempo. Durante esses anos tenho "corrido" atrás de conteúdos relevantes que, de alguma forma possa me ajudar e ajudar outras pessoas a viver com mais qualidade de vida. Ps. Tenho 47 anos, sou goiano, evangélico, solteiro e tenho um filho de 13 anos, motivo do meu orgulho e alegria. Sou apaixonado séries e filmes de ação e adoraria aprender tudo sobre fotografia.

Deixe seu comentário