Psicoterapia: a cura pelo autoconhecimento


A psicoterapia é uma terapia que visa a solução de problemas de ordem comportamental, sentimental, emocional e existencial por meio da conversa entre terapeuta (psicólogo) e paciente, exercícios, massagens e, por vezes, medicamentos. A psicoterapia é eficaz contra fobias, hábitos compulsivos, depressão, ansiedade e outros problemas psicológicos.

Neste artigo traremos maiores detalhes a respeito da psicoterapia, tão importante e tão praticada nos dias de hoje. Vamos inicialmente conhecer um pouco mais acerca de sua história.

História da psicoterapia

A história recente da psicoterapia começa no início do século XX. É nessa época que Sigmund Freud, médico neurologista austríaco, começa a desenvolver a teoria da psicanálise. Ele ficou famoso por alterar completamente o modo como a psique humana é compreendida. A psicanálise tinha como objetivo investigar as causas de determinados sintomas manifestados por meio de palavras ou ações. Essa teoria é o precedente mais relevante da psicoterapia. Ela serviu, inclusive, como uma ferramenta de estudo de fenômenos produzidos socialmente.

Os discípulos de Freud, porém, foram se tornando dissidentes. Em razão disso e com o passar das décadas, as técnicas da psicoterapia foram se diversificando. Um dos dissidentes foi Carl Gustav Jung, criador da “psicologia analítica” e de uma interessante teoria da personalidade. Outro médico psicanalista muito importante, que foi discípulo dissidente de Freud, foi o também austríaco Wilhelm Reich. Este baseou boa parte de seus estudos na compreensão das funções sexuais, tendo escrito livros como A função do orgasmo.

Com o passar dos anos, autores diversos desenvolveram estudos voltados à resolução de problemas específicos, tais como transtorno de personalidade limítrofe e surtos psicóticos. Foram então surgindo novas formas de psicoterapia, com novas técnicas. Os tipos de psicoterapia mais relevantes serão abordados a seguir.

Tipos de psicoterapia

Psicoterapia

  • Cognitiva: Desenvolvida na década de 1960, a psicoterapia cognitiva afirma que pensamentos distorcidos são os responsáveis pelos padrões comportamentais negativos e pelas emoções ruins apresentadas pelos indivíduos. O foco principal dessa terapia é a mudança desses pensamentos que distorcem a realidade, oportunizando assim uma visão mais objetiva da mesma e a mudança dos comportamentos prejudiciais deles decorrentes.
  • Comportamental: Também conhecida como behaviorista, é um conjunto de teorias psicológicas que se interessa pelo estudo do comportamento humano como forma de entender padrões psicológicos. Segundo o behaviorismo, os comportamentos prejudiciais são desencadeados pelas condições do ambiente, isto é, alterações no ambiente são capazes de interferir no comportamento humano. Todo estímulo externo está, portanto, associado a uma resposta.
  • Psicodinâmica: A terapia psicodinâmica é aquela utilizada por Freud em seu consultório no início do século XX. De acordo com as teorias por ele desenvolvidas, o intuito da terapia deveria ser explorar o inconsciente do indivíduo e identificar os conteúdos reprimidos, ou seja, as verdades, conflitos e desejos que o indivíduo esconde dele mesmo. A partir do momento em que o consciente toma conhecimento dos conteúdos escondidos no inconsciente, os sintomas negativos causados por esses conteúdos podem ser tratados e eliminados. A ideia é, portanto, entender aquilo que a pessoa desconhece sobre si mesma e, através desse autoconhecimento, encontrar a cura.
  • Humanista: Na psicoterapia humanista, é ressaltada a importância da colaboração do paciente no decorrer do processo, de forma que este procure as respostas dentro de si e lide com seus problemas de forma autônoma e criativa. Dessa forma, a relação entre terapeuta e paciente é horizontal.

Alguns benefícios da psicoterapia

  1. Combate à depressão e à ansiedade: Muitas pessoas procuram a psicoterapia para solucionar casos de depressão e ansiedade. Os resultados são extremamente positivos.
  2. Eliminação de hábitos compulsivos e fobias: Para tratamento desses problemas específicos, são indicadas técnicas cognitivo-comportamentais, visto que as psicodinâmicas freudianas não são devidamente eficazes nesses casos.
  3. Aumento da autoestima: Através do trabalho das más experiências passadas, com a eliminação de traumas, o autoconhecimento e a alteração dos pensamentos distorcidos, a pessoa passa a ter uma autoestima superior.
  4. Autoconhecimento: Mesmo pessoas sem preocupações e problemas significativos podem recorrer à psicoterapia para um melhor conhecimento de si mesmas.
  5. Superação de abusos e outras experiências traumáticas: A terapia é capaz de tornar o indivíduo livre de seu passado, desconstruindo-o até o ponto traumático e depois reinventando-o.
  6. Tratamento de distúrbios como borderline, TOC, bipolaridade, transtornos psicóticos etc.: Diversos distúrbios e transtornos podem ser tratados por meio da psicoterapia, mas nesses casos faz-se necessária a utilização de medicação adequada.

A hipnose como ferramenta da psicoterapia

Sigmund Freud teve a oportunidade de trabalhar, em Paris, com o psiquiatra Jean Charcot, o qual tratava as histerias de seus pacientes com hipnose. Quando Freud voltou para a cidade de Viena, na Áustria, passou a tratar os pacientes de seu consultório também com a hipnose.

Um caso bastante interessante é o de uma paciente de um médico com o qual Freud tinha bastante contato, Josef Breuer. A paciente apresentava sintomas adversos como paralisia e a causa era desconhecida. No entanto, quando a mesma ficava sob os efeitos de hipnose, ela era capaz de apontar com precisão os motivos pelos quais os sintomas tinham surgido: tratava-se de um desejo reprimido de que seu pai doente morresse. Ao tomar consciência desse fato, os sintomas simplesmente desapareceram, ao que Breuer chamou de método catártico.

Por muitos anos, Freud utilizou-se da hipnose para obter resultados como os do caso mencionado, apesar de sua técnica ter se modificado muito através dos anos com um eventual abandono da ferramenta.

A hipnose é utilizada até hoje por muitos psicoterapeutas como tratamento alternativo. Ela configura-se como um instrumento capaz de comprovadamente potencializar os resultados da psicoterapia.

A psicoterapia é, portanto, uma terapia eficaz para a resolução de diversos problemas comuns e outros mais particulares. Além disso, ela proporciona autoconhecimento e crescimento pessoal. Os terapeutas que se utilizam de uma ou mais técnicas da psicoterapia são os psicólogos. Essa terapia é bastante recomendada para aqueles que apresentam algum problema de ordem psicológica ou mesmo aqueles que desejam maior autoconhecimento e satisfação com a vida.

Se você gostou deste artigo, compartilhe com seus amigos e familiares e deixe seu comentário!

Deixe seu comentário